Exportações do agronegócio chegam a US$ 8,7 bilhões em março

As vendas do agronegócio no mercado externo representaram 43,5% do valor total das exportações brasileiras em março. Ao todo, os ganhos do setor somaram US$ 8,73 bilhões. Na comparação com o mesmo período do ano passado, houve um aumento de 4,6%.

O saldo da balança do agronegócio, que é a diferença entre exportações e importações, foi de US$ 7,34 bilhões, quase 2,3% a mais do acumulado em fevereiro.

 

Produtos

Em março, o complexo soja representou 46,5% de todas as exportações do agronegócio. Em seguida, aparecem carnes, com 15,4%; produtos florestais, com 10,1%; complexo sucroalcooleiro, com 8,8%; e café, com participação de 5,8%. Juntas, as vendas externas dos cinco setores equivalem a 86,7% do total exportado em março deste ano.

 

Compradores

A Ásia foi o principal consumidor dos produtos brasileiros em março. Os países do continente gastaram US$ 4,65 bilhões em produtos do setor, dos quais a soja em grãos representou 68,1%.

O produto foi o que mais contribuiu para o crescimento de 11,2% das vendas brasileiras à região, com aumento de US$ 671,76 milhões em relação a março de 2016. Como resultado, a participação da região passou de 50,1% em março de 2016 para 53,2% no último mês.

A China se manteve como principal país de destino das exportações brasileiras de produtos agropecuários, alcançando US$ 3,44 milhões em março. Esse montante representou crescimento de 24,4% em relação ao mesmo mês em 2016.

 

Soja

Segundo o Ministério da Agricultura, as exportações do complexo soja cresceram 16,8% em relação a março de 2016, totalizando US$ 4,06 bilhões. A maior parcela desse valor corresponde às exportações de soja em grãos, que atingiram valor e quantidade recordes para o mês de março, com US$ 3,53 bilhões (20,8%) e 8,98 milhões de toneladas (7,2%).

 

Carnes

As exportações de carnes atingiram US$ 1,35 bilhão em março, com aumento de 9,2% em relação ao verificado no mesmo mês do ano anterior. Houve retração de 5,2% na quantidade comercializada, com 591,72 mil toneladas, e elevação do preço médio dos produtos do setor à taxa de 15,2%. O principal item negociado no mês foi a carne de frango, com US$ 644,15 milhões (11,7%).

As exportações de carne suína atingiram US$ 149,38 milhões (um aumento de 37,9%), com queda de 4,8% no volume comercializado e elevação de 44,8% na cotação do produto no período. As vendas de carne suína in natura atingiram recorde em valor para o mês de março com o total de US$ 138,31 milhões. Já as exportações de carne de peru alcançaram o valor de US$ 35,37 milhões com o embarque de 13,65 mil toneladas.

 

Produtos florestais, açúcar e álcool

Em terceiro lugar no ranking dos setores do agronegócio que mais exportaram em valor, os produtos florestais apresentaram a soma de US$ 884,01 milhões, com crescimento de 7,4% em relação aos US$ 823,48 milhões obtidos em março do ano anterior. O principal produto negociado foi a celulose, com US$ 436,09 milhões e 1,06 milhão de toneladas comercializadas, volume recorde para o mês de março.

Em seguida, destacaram-se as vendas do complexo sucroalcooleiro, que atingiram US$ 770,65 milhões, com incremento de 4,5% quando comparado ao valor exportado em março de 2016. As vendas de açúcar foram o destaque do setor, com o total de US$ 735,19 milhões.

O setor cafeeiro foi o quinto do agronegócio que mais exportou em março. As vendas externas do setor somaram US$ 509,46 milhões, com incremento de 12,% em comparação ao mesmo período do ano anterior (US$ 454,82 milhões).

 

Fonte: PORTAL BRASIL