Com supersafra em 2017, SC deve aumentar exportação de maçã

A colheita da maçã em Santa Catarina, que vai abastecer mais da metade do mercado nacional, este ano rendeu uma supersafra, não apenas em volume de produção como em qualidade da fruta, o que aumentará o lucro dos produtores. A expectativa é de que as vendas da maçã catarinense para o exterior também aumentem, como mostrou o RBS Notícias.

Os pomares na região de Fraiburgo, no Oeste catarinense, estão carregados como há muito tempo não se via. Segundo a RBS TV, a explicação para esta fartura está no clima, o inverno foi rigoroso e a primavera, época da florada, de baixa umidade.

A safra de 2017 está 20% superior a do ano passado, porque a maioria das frutas colhida é da categoria um, quando a maçã atinge o nível máximo de qualidade.

“A fruta está mais firme e o equilíbrio importante, que é o açúcar e acidez que dá o sabor, também está muito equilibrado  e por ter esta característica de firmeza é uma fruta que também vai ter um potencial de armazenagem bastante longo. Então, nós vamos ter fruta de qualidade o ano inteiro”, explicou o agrônomo Ney Araldi.

 

Mais de 50% da produção do país vem de SC

No ano passado, foram colhidas no Brasil 830 mil toneladas de maçã. Este ano, no entanto, a previsão é colher mais de 1,1 milhão de toneladas, mais da metade de toda essa produção sairá dos pomares de Santa Catarina.

A maior produção do estado sairá da região serrana, 368 mil toneladas de maçã. Na Serra, são mais de 11 mil hectares da plantação. Por ser a região mais fria, a colheita ainda está no começo, mas os trabalhos vão aumentar até abril.

Por causa desta safra considerada perfeita pela Epagri, o produtor espera receber mais de R$ 2 pelo quilo da maçã, 17% a mais do que no ano passado.

“Tem que influenciar porque a qualidade, como qualquer produto da indústria, quanto maior a qualidade, maior tem que ser o preço”, disse o gerente regional da Epagri Nazaro Vieira Lima.

 

Crescimento de exportação

Na região, com mais de dois mil produtores, a intenção é começar a exportar a fruta este ano. “Vamos tentar exportar alguma coisa para a Europa, para a Índia e para outros países que tiverem interessados, então, a gente está se preparando, dando os primeiros passos para ver se este ano já colocar alguma coisa no mercado internacional”, disse o produtor Marizon Corrêa.

Em Fraiburgo, os produtores já exportam e este ano planejam aumentar as vendas da maçã catarinense para o exterior. “O Brasil chegou a exportar mais de 100 mil toneladas e no último ano, em função do perfil da própria safra esse volume se reduziu a 30 mil toneladas. Então, este ano, a exportação também terá uma retomada”, explicou o presidente da Associação Brasileira de Produtores de Maçã, Moisés Lopes de Albuquerque.

 

Fonte: G1 - SANTA CATARINA, CAMPO E NEGÓCIOS